Pular para o conteúdo principal

​Dor de estômago, gastrite ou úlcera?




Viver e saúde 
Uma simples dor no estômago, se não tratada no início do sintoma, pode evoluir e transformar o quadro em uma úlcera gástrica ou duodenal. Caracterizada por uma inflamação ou lesão aberta na mucosa do estômago ou duodeno, a úlcera se desenvolve a partir da produção de ácido clorídrico para a digestão dos alimentos. Com esse procedimento, o órgão passa a concentrar uma acidez acima do normal e pode lesionar as paredes do estômago ou do duodeno.
Na maioria dos casos a úlcera se manifesta através de muita queimação, dores abdominais, enjoos, náuseas e vômitos. Nestas condições, é importante a realização de uma endoscopia digestiva alta, não somente para identificar o que está provocando o quadro, mas, principalmente, para afastar a possibilidade de se tratar de um câncer gástrico, uma vez que os sintomas são parecidos. Estima-se que para os próximos anos surjam aproximadamente 22 mil novos casos de câncer no estômago, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer).
“O hábito de comer de forma irregular e com abuso de condimentos, o uso do cigarro, álcool e café em excesso, uma gastrite mal cuidada, são alguns indícios para um quadro de evolução de úlcera. Porém, a doença também pode ser desencadeada através da bactéria Helicobacter, e por meio do constante uso de anti-inflamatórios e aspirina para dor”, explica Mounib Tacla, gastroenterologista.
Diagnóstico e tratamento
Por meio de uma endoscopia digestiva é possível detectar a inflamação e tratar a tempo com uma medicação adequada. O exame é realizado com sedação leve e é feita uma biópsia, para retirar uma amostra de tecido para análise e pesquisa da bactéria Helicobacter, sendo todo o procedimento indolor.
Quase sempre o tratamento é feito com medicação, mas é importante aliar a isso uma mudança do estilo de vida, com redução do “stress”, parar de fumar, reduzir o álcool e o café, além de cuidados com a alimentação. “Geralmente quem adquire úlcera não tem uma rotina alimentar saudável, portanto, é imprescindível para o sucesso do tratamento a inclusão de hábitos saudáveis e o abandono dos antigos costumes”, orienta Dr. Tacla.
Para não sofrer desse terrível mal o especialista indica alguns modos de prevenir a doença, mas se a dor for constante, procure um médico especialista o mais rápido possível e conclua o tratamento especificado para o caso:
– Fazer cinco refeições por dia, reduzindo a quantidade;

– Evitar frituras e alimentos com muito condimento;

– Evitar refrigerantes e bebidas alcoólicas;

– Parar de fumar;

– Fazer refeições leves à noite;

– Evitar bebidas que contém cafeína;

– Incluir na alimentação frutas, mas evitar as ácidas;

– Incluir na alimentação verduras e legumes;

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Angélica tatua nome da filha

Depois de fazer mistério sobre sua nova tatuagem, postando uma foto durante a sessão com a legenda: "Ai ai ai!!! O que eu to aprontando?!?!", a apresentadora Angélica mostrou aos seguidores do Instagram o resultado do trabalho do tatuador Joaquim. A loira tatuou o nome da filha caçula, Eva, no pulso.
No outro braço, a apresentadora já tinha tatuado as iniciais dos nomes de seus dois outros filhos, Joaquim e Benício, frutos de seu casamento com Luciano Huck. O marido também foi homenageado com uma tatuagem. Angélica tem tem uma estrela de Davi e a letra L desenhadas em sua nuca.
Joaquim, o filho mais velho do casal de apresentadores, completou 9 anos em março. Benício tem 6 anos e a pequena Eva, homenageada na nova arte corporal da mamãe, tem apenas 1 aninho. Luciano Huck e Angélica estão juntos desde 2003.
Yahoo

Cuidado com a publicidade infantil na internet

Hoje, no Dia do consumidor, precisamos falar de consumo consciente, principalmente quando de trata das crianças. Por diversas vezes a gente relaxa e deixa os filhos expostos às marcas e a produtos, liberamos os canais de desenho ou do Youtube com vídeos e mais vídeos de produtos. E as crianças ainda não conseguem perceber claramente o conteúdo comercial do educativo (ou de entretenimentos).

Aqui em casa a gente tem algumas políticas para barrar o consumo desenfreado. A primeira delas é: ganhou, doou. Vale para presentes de aniversários, Natal ou press kits que chegam por aqui. Muitos presentes a gente passa adiante, outros separamos para a doação coletiva na escola. E os meninos já são educados a isso, então não é drama desapegar dos brinquedos.

A outra coisa que eu sempre converso com eles é sobre a real necessidade da compra. Já tivemos a fase do “eu quero, eu quero, eu quero”, que foi contornada, sem grandes problemas, com a orientação do real valor do dinheiro. Agora, com Gabriel ma…

Há jeito certo para usar óleo de coco no cabelo sem deixar a raiz cheia de caspa

Ele é considerado o queridinho de todas as blogueiras, milagroso por tantas aplicações e benefícios. Mas você sabia que o óleo de coco pode não ter o mesmo efeito mágico em todas as pessoas e, pior, ele ainda pode causar efeito rebote no cabelo, caso não seja usado adequadamente? Entenda melhor o porquê.
Evite usar óleo de coco no couro cabeludoPara quem se beneficia dos efeitos de hidratação do óleo de coco, a impressão de que ele ajuda a restaurar a saúde da pele e a reduzir a descamação é unânime. Isso na pele do corpo e dos lábios, por exemplo.
PUBLICIDADE No entanto, nos cabelos, o óleo de coco pode ajudar a combater o ressecamento e também provocar mais produção de oleosidade. Principalmente, se você o aplicar diretamente no couro cabeludo e em excesso, ou com muito frequência.

Assim, ao invés de auxiliar na hidratação, se aplicado mais de uma vez por semana ou com exagero no couro cabeludo, o óleo pode gerar aumento da oleosidade da pele, caspa, coceira e até queda de c…